terça-feira, 2 de julho de 2013

DICAS DE INTERPRETAÇÃO

DICAS DE INTERPRETAÇÃO      


01. Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto;

02. Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a leitura, vá até o fim, ininterruptamente;

03. Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo menos umas três vezes;

04. Ler com perspicácia, sutileza, malícia nas entrelinhas;

05. Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar;

06. Não permitir que prevaleçam suas ideias sobre as do autor;

07. Partir o texto em pedaços (parágrafos, partes) para melhor compreensão;

08. Centralizar cada questão ao pedaço (parágrafo, parte) do texto correspondente;

09. Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada questão;

10. Cuidado com os vocábulos: destoa (=diferente de...), não, correta, incorreta, certa, errada, falsa,
verdadeira, exceto, e outras; palavras que aparecem nas perguntas e que, às vezes, dificultam a entender o que se perguntou e o que se pediu;

11. Quando duas alternativas lhe parecem corretas, procurar a mais exata ou a mais completa;

12. Quando o autor apenas sugerir ideia, procurar um fundamento de lógica objetiva;

13. Cuidado com as questões voltadas para dados superficiais;

14. Não se deve procurar a verdade exata dentro daquela resposta, mas a opção que melhor se enquadre no sentido do texto;

15. Às vezes a etimologia ou a semelhança das palavras denuncia a resposta;

16. Procure estabelecer quais foram as opiniões expostas pelo autor, definindo o tema e a mensagem;

17. O autor defende ideias e você deve percebê-las;

18. Os adjuntos adverbiais e os predicativos do sujeito são importantíssimos na interpretação do texto. Ex.: Ele morreu de fome. de fome: adjunto adverbial de causa, determina a causa na realização do fato (= morte de "ele").Ex.: Ele morreu faminto. Faminto: predicativo do sujeito é o estado em que "ele" se encontrava quando morreu;

19. As orações coordenadas não têm oração principal, apenas as ideias estão coordenadas entre si;


20. Os adjetivos ligados a um substantivo vão dar a ele maior clareza de expressão, aumentando-lhe       ou determinando-lhe o significado.

sábado, 22 de junho de 2013

Aposto e Vocativo

APOSTO

É a expressão que esclarece, acompanha, resume, identifica um outro termo da oração, seja qual for a função deste.

Há quatro tipos de aposto:

Aposto Explicativo:
O aposto explicativo é destacado por pausas, podendo ser representadas por vírgulas, dois pontos ou travessões. Pode vir precedido de expressões explicativas do tipo: a saber, isto é, quer dizer etc.

Ex. Solange, filha de Maria, é professora. Esses são os tipos mais utilizados nos concursos.
      Dom Casmurro, obra literária de Machado de Assis, é uma excelente opção de leitura.
     

Aposto Especificador:
O aposto especificador não tem pausa. Especifica um substantivo de sentido genérico

Ex. A Rua Flores no bairro Jardim das Rosas está sendo asfaltada.
      O mártir Machado de Assis tornou-se canonizado na Literatura.

Aposto Enumerador:
O aposto enumerador é uma sequência de elementos usada para desenvolver uma ideia anterior.

Ex. Eu tinha três opções: ir para minha casa, ir para casa da minha avó, ou para casa da minha tia.
       Na sala havia dois alunos que sempre se destacavam: Pedro e Marcela.

Aposto Resumidor ou Recapitulativo:
O aposto resumidor é usado para resumir termos anteriores. É representado, geralmente, por um pronome indefinido.

Ex. Pai, mãe, irmãos, tios, avós e amigos, TODOS compareceram na cerimônia.
       Desculpas, pedidos de reconciliação, NADA muda a concepção que tenho de você.

*******************************************************************************
VOCATIVO
É a palavra ou conjunto de palavras, de caráter nominal, que empregamos para expressar uma  INVOCAÇÃO OU CHAMADO.

O VOCATIVO é obrigatoriamente acompanhado de uma pausa: curta, através do recurso da vírgula; longa, através do recurso da exclamação ou das reticências. Não há posição definida para o vocativo na sentença, porém, quando se apresenta no interior da oração, deve ser colocado entre vírgulas.

Ex.: Por Deus, Amélia, vamos encerrar essa discussão!
        Posso me retirar agora, senhor?
        Meninos!
Além disso, é bastante comum encontrarmos o VOCATIVO associado a alguma forma de ênfase. Se não através da pontuação, o recurso mais popular é vê-lo associado a uma interjeição.

Ex.: Ah, mãe! Deixe-me ir ao jogo hoje! / Ó, céus, para quê tanto espetáculo em dias tão desastrosos?
Outros exemplos:
                             Perigo! ... [frase constituída por um substantivo]
                             Rebeca! ...[vocativo]                    
     
REVISÃO DE PORTUGUÊS – APOSTO E VOCATIVO 

1.O aposto pode ser empregado para:

A) Explicar, resumir e identificar.

B) Enumerar ou recapitular, nesse caso, pode vir precedido pelas expressões a saber, por exemplo, isto é, ou ser representado por um pronome indefinido, como nada, ninguém, qualquer, etc;

C) Marcar uma especificação, uma individualização; nesse caso, pode virou não preposicionado;

D) Marcar uma distribuição, por meio de um e outro, este e aquele, etc;

Indique com qual desses casos (marcando a letra correspondente) os apostos destacados a seguir se identifiquem.

( ) Só jantava comidas leves: uma salada, uma sopa de legumes, um caldo de carne.
( ) Os rapazes eram dois bons profissionais, um em informática e o outro em engenharia
( ) “Nós tínhamos imaginado, mamãe e eu, fazer uma grande peregrinação”.
( ) O poema ‘Vou-me embora pra Pasárgada’ é do grande poeta Manuel Bandeira.
.
2 - Identifique o Aposto e o Vocativo nas Frases Abaixo:

a. Chegou a hora da verdade, amigos. (vocativo)
b. Cuidado com o carro, seus loucos! (vocativo)
c. O senador foi à festa com a namorada, Marcia. (aposto)
d. Acorda, São Paulo. (vocativo)e. Pedro II, ex-imperador do Brasil, foi deportado. (aposto)
f. A ordem, meus amigos, é a base do Exército. (vocativo)
g. Mario possui três filhas: Janaína, Vitória e Bruna. (aposto)
h. Obrigado, doutor. (vocativo)
i. Deus, tenha piedade de nós! (vocativo
j. Ele me disse apenas isso: a nossa amizade acabou. (aposto)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

A NÍVEL DE, EM NÍVEL DE ou AO NÍVEL???

A NÍVEL DE, EM NÍVEL DE ou AO NÍVEL 

 

 








A nível de - INACEITÁVEL!
 
O grande erro quanto ao uso da expressão “a nível de” é sua utilização em situações em que não há “níveis”:
 
“A nível de proposta, o assunto deve ser mais discutido.”
Isso está errado!
Em nível de - ACEITÁVEL. 

Podemos usar a expressão “em nível” sempre que houver “níveis”: 
 
Ex.: “Esse problema só pode ser resolvido em nível de diretoria”
       (=a empresa deve ter outros níveis hierárquicos); 
 
      “Isso só acontece em nível municipal” 
       (=poderia ser em nível estadual ou federal).

A expressão “ao nível do mar” é perfeitamente aceitável.
#Professor Sérgio Nogueira.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Propagandas e anúncios publicitários



Chamar a atenção do consumidor - Eis o objetivo do anunciante

A todo instante nos deparamos com uma infinidade de propagandas, seja em outdoors, seja em panfletos espalhados pelas ruas ou através da mídia. Elas fazem parte dos chamados “gêneros textuais”, pois participam de uma situação sociocomunicativa entre as pessoas. 
A finalidade deste tipo de texto é de persuadir, ou seja, o anunciante (emissor) tem o objetivo de convencer o telespectador (receptor) sobre a boa qualidade de um determinado produto, convencendo-o a adquiri-lo.
Isto nos remete à ideia daquele velho ditado popular, o qual diz que “a propaganda é a alma do negócio”, e se analisarmos, concluiremos que a afirmação é totalmente verídica, porque quanto mais criativo e objetivo for o anúncio, mais haverá a possibilidade de aceitação. Para isso, é importante saber o público-alvo, fator decisivo perante a elaboração das estratégias a serem aplicadas.

Quanto à estrutura do texto em questão, ele compõe-se da seguinte forma:

Título - Geralmente é bastante criativo e atraente, baseado em um jogo de palavras carregadas de linguagem conotativa, justamente com o intento de atrair o consumidor.
Imagens - As mais inusitadas possíveis, dispostas de forma a chamar a atenção de acordo com as características do produto anunciado.

Corpo do texto - Nesta parte é desenvolvida a ideia sugerida no título, com frases curtas, claras e objetivas, adequando o vocabulário aos interlocutores destinados.

Identificação do produto ou marca - funciona como uma “assinatura” do anunciante. Ocorre também de aparecer o Slogan junto à marca anunciada, para dar mais ênfase à comunicação. Certos slogans são de nosso conhecimento. Como por exemplo: “Casas Bahia, dedicação total a você!”, "Red Bul te dá asas", "Oi, simples assim!", etc. 
1.                 
                      Atividades:
                                                                                                 Observe a imagem e a seguir responda:
                                            Figura: Propaganda americana da Coca-Cola zero


Embaixo do título “Coca-Cola zero” está escrito “qualquer coisa é possível: ela é zero de açúcar”.

A.O texto apresenta uma linguagem curta e direta ou uma linguagem longa e argumentativa?
_____________________________________________________________________________
B. O que a propaganda quer ressaltar com a afirmação de que “qualquer coisa é possível: ela é zero de açúcar”?
_____________________________________________________________________________
C. Para que público a propaganda está dirigida? O público-alvo da propaganda é o público jovem ou é o público adulto?
______________________________________________________________________________
D. Qual a razão que, segundo a propaganda, devem nos fazer tomar Coca-Cola zero?
______________________________________________________________________________